Um em cada dois menores de idade na Argentina é pobre. Um em cada dez passa fome, num país que exporta alimentos para 400 milhões de pessoas. Os dados de 2018 do último relatório do Observatório da Dívida Social da Universidade Católica Argentina (UCA) são devastadores para o Governo de Mauricio Macri, que pediu para ser julgado por sua capacidade para reduzir a pobreza. Segundo esse estudo, os 51,7% de pobreza infantil registrados no ano passado — 6,1 milhões de crianças e adolescentes — representam a pior cifra da década, um aumento de quase oito pontos percentuais em apenas um ano, e quase 12 pontos a mais que o melhor resultado, em 2011. A crise econômica, e especialmente a brutal alta do preço dos alimentos — 51,2%, acima de uma inflação geral de 47,6% no ano passado — agravou a situação de muitos lares que viram sua renda diminuir ao perderem pequenos trabalhos informais, conhecidos na Argentina como changas.

Seguir leyendo.

Source: Mais da metade das crianças argentinas são pobres